Como você avaliaria a gestão fiscal da sua empresa? Existem várias rotinas que são obrigatórias para qualquer pessoa jurídica: emissão de notas fiscais, recolhimento de tributos, obrigações acessórias, escrituração contábil, entre outras. A grande questão é como cada uma dessas organizações encara as exigências fiscais.

Para muitos empresários, todas essas rotinas representam apenas despesas, burocracia desnecessária e dor de cabeça. Porém, em vez de ficar apenas reclamando sem fazer nada, é possível tirar o melhor de todas informações utilizadas nessas atividades. E é exatamente esse o objetivo da gestão fiscal.

Uma gestão fiscal de qualidade pode contribuir ativamente com a eficiência de uma empresa. Descubra neste artigo como isso acontece.

Gestão fiscal
Photo by Corinne Kutz on Unsplash

O que é gestão fiscal?

A gestão fiscal é um termo que se refere ao modo como uma empresa encara suas obrigações fiscais e tributárias. Enquanto existem empresas que vivem em risco constante por não quererem realizar todas as exigências legais e não conhecem todas as obrigações, outras organizações optam pelo caminho oposto: dominam completamente todas essas rotinas para otimizá-las.

Portanto, a gestão fiscal inclui todas as boas práticas relacionadas a isso. Desde a escolha do melhor regime tributário até o cumprimento das obrigações acessórias específicas, é possível tomar controle sobre as exigências fiscais e tributárias.

Com base nessas práticas, as empresas podem evitar autuações fiscais – administrando as informações para estar sempre de acordo com a legislação. Além disso, manter essas informações organizadas ainda pode gerar insights que auxiliam no processo de tomada de decisão.

A importância da gestão fiscal

O Brasil é marcado por sua elevada carga tributária e enorme burocracia. Para as empresas, pode ser muito difícil acompanhar todas as exigências fiscais e tributárias. Porém, a não observância das normas legais leva a penalidades severas.

Ou seja, é preciso superar os desafios para evitar ainda mais complicações. E a gestão fiscal contribui para que uma empresa tenha mais domínio sobre o emaranhado de obrigações impostas às empresas – com diferentes tipos de tributos, alíquotas, exigências, incentivos e outras obrigações.

Levando isso em consideração, podemos destacar os principais pontos de importância da gestão fiscal:

  • Auxiliar as empresas a manter o compliance fiscal
  • Reduzir a carga tributária da empresa, sem deixar de cumprir as normas legais
  • Eliminar situações de autuações e penalidades
  • Gerar mais informações úteis sobre tributos e finanças
  • Aumentar a segurança do empresário sobre o cumprimento de suas obrigações

6 dicas para uma gestão fiscal eficiente

via GIPHY

Você ficou interessado em melhorar a gestão fiscal da sua empresa? Então confira essas dicas que vão ajudá-lo:

1. Conheça as obrigações da sua empresa

O primeiro passo para uma gestão fiscal eficiente é conhecer as obrigações da sua empresa. Quais tributos você precisa recolher? Quais são as obrigações que devem ser entregues ao longo do ano? Reúna todas as informações necessárias para garantir que você alcance o compliance fiscal.

2. Faça um planejamento fiscal

Após reunir as informações sobre as obrigações da empresa, você pode iniciar um planejamento fiscal. Organize todas essas exigências para que seja possível identificar a distribuição delas ao longo do ano – incluindo seu prazo de entrega.

Além disso, um bom planejamento tributário pode ser muito útil neste momento. Você pode encontrar as melhores alternativas para enquadrar corretamente a organização no melhor regime tributário e minimizar as despesas – sempre dentro da legalidade.

3. Monitore o fluxo de processos

Uma boa gestão fiscal deve sair apenas da parte estratégica e analisar as operações na prática. Para isso, monitore constantemente o fluxo de processos do departamento fiscal para encontrar pontos que podem ser melhorados.

4. Mantenha-se informado sobre benefícios fiscais

Os benefícios fiscais são ótimos para que você consiga reduzir as despesas tributárias. Portanto, mantenha-se sempre informado sobre as mudanças na legislação que afetam o setor de atuação da sua organização.

5. Faça auditorias periodicamente

Uma boa auditoria interna é uma maneira de encontrar pontos que ainda podem ser melhorados – seja para manter a empresa dentro da legalidade ou reduzir custos. Além disso, é uma maneira da gestão fiscal buscar uma melhoria constante.

6. Automatize os processos

A automação pode ser sua grande aliada para implementar uma gestão fiscal eficiente. É possível realizar vários dos procedimentos obrigatórios de forma automática – como emissão de notas fiscais, armazenamento de documentos, pagamento de tributos, consultas de situação cadastral, entre outros.

Além disso, as soluções digitais ainda contribuem com a organização de todas essas informações para facilitar uma visão geral sobre todas as obrigações fiscais e tributárias. Tudo para garantir o compliance fiscal e a redução de custos.

Com as soluções Dootax você pode aumentar a eficiência da gestão fiscal e otimizar os processos na sua empresa. Entre em contato com nossos especialistas e descubra como podemos ajudá-lo!

Carlos Lima

Formado em publicidade e propaganda, é analista de inbound marketing e mídias sociais na Dootax.

COMENTÁRIOS