A sua empresa já adota o compliance fiscal? Esse termo está relacionado ao cumprimento de todas as normas e regras fiscais que uma organização deve seguir – minimizando as chances de complicações. Com tantas exigências legais que existem no Brasil, essa é uma preocupação frequente para as pessoas jurídicas.

Esse assunto se torna ainda mais relevante por conta dos riscos do descumprimento do compliance fiscal. Uma empresa que deixa de cumprir todas as exigências fiscais precisa lidar com vários problemas: multas e penalidades, lerdeza nos processos internos, dificuldade no acompanhamento da legislação, entre diversos outros impactos negativos.

Considerando toda essa realidade brasileira, veremos neste artigo 9 motivos para adotar o compliance fiscal. Acompanhe.

O papel do compliance fiscal

O compliance fiscal exerce um papel fundamental para uma empresa: transmite segurança e tranquilidade em relação ao cumprimento de todas exigências fiscais que devem ser seguidas. Através de ferramentas que auxiliam no controle sobre todos os processos internos é possível garantir que nenhum compromisso passe sem ser notado.

Essa segurança se torna ainda mais importante considerando as inúmeras preocupações que uma empresa possui. Em meio a tantos processos internos e atividades essenciais para o funcionamento adequado das atividades, eliminar uma potencial fonte de problemas é muito importante – refletindo como uma vantagem competitiva.

9 motivos para adotar o compliance fiscal

Para ressaltar a importância de adotar o compliance fiscal, separamos 9 ótimos motivos para levar essa rotina para o departamento fiscal da sua empresa. Veja quais são eles:

1. Monitoramento das obrigações e acompanhamento dos prazos

Uma das principais funções exercidas pelo gestor fiscal é acompanhar todos os prazos para a entrega das obrigações principais e acessórias. Quando isso não acontece, a empresa corre riscos fiscais e pode ser punida com multas e juros sobre os títulos pagos em atraso.

As organizações que adotam o compliance fiscal possuem um monitoramento rígido e eficiente sobre todos os compromissos da organização ao longo do ano inteiro. Com isso, dificilmente um prazo de entrega não é cumprido – evitando todas essas consequências negativas.

2. Armazenamento de todos os documentos necessários para comprovação

Se a fiscalização solicitasse o comprovante de pagamento da DARF de fevereiro de 2016, quanto tempo levaria para você achar o comprovante? A dificuldade em localizar documentos e comprovantes antigos pode se tornar um grande problema para as empresas que passam por processos de fiscalização.

Com a adoção do compliance fiscal a empresa possa a compor uma base unificada que comprova todos os cálculos e documentos usados pela empresa para a apuração ou recolhimento dos impostos. Com isso, ocorre um grande ganho de simplicidade e agilidade para pegar comprovantes.

3. Preenchimento correto das notas fiscais

Apesar de parecer um detalhe perto de tantas obrigações tão complexas, as notas devem ser emitidas e escrituradas de acordo com as normas tributárias. É preciso que exista uma atenção especial para garantir que isso aconteça e reduzir as chances de problemas com o Fisco.

4. Geração robotizada das guias para recolhimento dos tributos

Outro aspecto diretamente ligado com o compliance fiscal é o recolhimento adequado de todos os tributos da empresa. Uma ótima forma de garantir que todos os compromissos sejam recolhidos corretamente é utilizando soluções digitais para emissão e pagamento de todas as guias.

Com o uso da tecnologia é possível garantir que o mesmo valor apurado ou destacado na NFe/CTe é efetivamente o da guia emitida. Além disso, a própria solução digital pode garantir o pagamento dessa guia dentro do prazo – sem a necessidade de interferência humana para o processo de emissão e pagamento.

5. Redução dos riscos de penalidades

Conforme ressaltamos diversas vezes ao longo deste artigo, a adoção do compliance fiscal passa pelo cumprimento de inúmeras obrigações. Portanto, o objetivo é tornar todos os processos claros e organizados do início ao fim para reduzir as chances de erros. Com isso, também ocorre a diminuição dos riscos de penalidades por informações incorretas prestadas ao Fisco.

6. Agilidade no processo interno

O compliance fiscal é responsável não só pelo cumprimento de todas obrigações legais, mas também pelo salto no desempenho interno de um departamento fiscal. Com o uso de ferramentas que permitem a robotização dos processos fiscais todas as rotinas internas se tornam mais ágeis e eficientes.

Portanto, os ganhos financeiros podem ir além da eliminação dos gastos com multas e outras penalidades. Com o aumento da produtividade causado pela estruturação e automação dos processos internos os custos operacionais do setor fiscal também diminuem.

7. Fácil acesso às informações fiscais

A facilidade em acessar informações e documentos fiscais é muito importante para permitir a localização de dados necessários para o cumprimento das obrigações e atendimento às fiscalizações. As organizações que adotam o compliance fiscal utilizam ferramentas digitais para que todas essas informações estejam acessíveis com poucos cliques.

8. Padronização de processos internos

A padronização dos processos internos é fundamental para alcançar o compliance fiscal. Isso inclui a clareza das rotinas internas, treinamento de pessoas, acompanhamento das atividades e uso de ferramentas que facilitam o trabalho. Quanto mais eficientes forem as atividades internas, menores são as chances de falhas ou erros nas rotinas fiscais.

9. Construção de uma imagem positiva da empresa no mercado

Uma empresa com compliance fiscal é mais bem vista pelo mercado, contribuindo para a construção de uma imagem positiva entre seus clientes e parceiros. Por outro lado, organizações que enfrentam problemas frequentes com a fiscalização perdem a credibilidade.

Além disso, essa imagem positiva também é observada pelo poder público e pode render incentivos. Recentemente o governo de SP lançou o Programa Nos Conformes que tem o objetivo de melhorar o relacionamento entre empresas e o Fisco – monitorando as empresas e incentivando o compliance fiscal.

E então, a sua empresa adota o compliance fiscal? Você já conhecia todos esses motivos para assegurar o cumprimento de todas obrigações fiscais? Deixe o seu comentário!

Thiago Souza

Co-Founder do Dootax, formado em Sistemas de Informação, desde 2004 atuando em Tecnologia da Informação. Em 2010 iniciou as atividades especificamente com foco no departamento fiscal e tributário. Atualmente responsável pelo Marketing e divulgação do Dootax.

COMENTÁRIOS